Adilson Santos

convite governador prefeito gianDesde ontem esta circulando um texto que diz ser convite do prefeito de Poá Giancarlo Lopes da Silva (PR) que receberá amanhã dia 17 de maio às 12h30 o governador de São Paulo Márcio França, em mais uma etapa da obra do piscinão na Vila Romano.

Uma coisa é fato, a população da cidade faz diversas reivindicações pelas redes sociais, e o prefeito não tem andado nas ruas da cidade, esta sumido segundo alguns vereadores.

Amanhã, a população que tanto tem reclamado, reivindicado, poderá com certeza ir até o piscinão que há anos, recebe, recebe recursos, e nunca é terminada a obra, sem previsão de data do término e ou inauguração, sendo pior do que novela mexicana aquelas com dublagem mal feitas, que tem fim. Mas a obra do piscinão de Poá parece nunca ter fim.

O povo poderá comprar sua cartolina, escrever o que precisa e fazer sua reivindicação, afinal, nas redes sociais são contantes os pedidos sobre: #educação, #saúde, #segurança, #emprego. Não adianta ficar com mimimi nas redes sociais, e não cobrar de forma efetiva e correta.

Na educação os reclames vão desde a falta de vagas de creches, como escolas longe de casa, ou sem mesmo, como no bairro da Vila Perracini, um dos bais abandonados pelo Poder Público.

Saúde falta médicos especialistas nos postos de saúde, como também a falta de pediatra no hospital municipal, sem contar na demora de atendimento de diversos especialistas, começando pela falta de remédios como material humano, pessoas despreparadas e sem capacitação para ocupar os cargos na pasta.

Segurança o caos é geral, assaltos, furtos e até latrocínio como do estudante na passarela de Calmon Viana.

Emprego já começa pela JUCIP (Juventude Cívica Poaense) que não tem mais convênio com a prefeitura, e passa pelo programa Frente do Trabalho, onde é usando como emprego, e pasmem, a grande maioria não faz os cursos e nem são qualificados para o mercado do trabalho, como preconiza o programa. Falta fiscalização, e isto, os vereadores fazem vistas grossas, ainda mais os adeptos das carteiradas. Já a secretaria da pasta é um cabidão de emprego, não vemos o secretário mover uma palha para a população, mas nos bastidores político, todos sabem o papel do personagem Massa lá.

Claro que a cidade tem muitos outros problemas, mas no meu entendimento, passou da hora do povo vender seu povo, e exercer o seu real papel de cidadão.

Adilson Santos é jornalista repórter fotográfico, coach, diretor executivo da ABME Associação Brasileira de Mídias Evangélica (SP) editor das mídias Jornal Evangélico e POÁ COM ACENTO.