Aéssio Ramos Pinto

22539922_10204013019882192_7978762986971875579_nO vereador Neno Ferrari apresentou requerimento na Câmara Municipal, propondo ao prefeito Giancarlo Lopes (PR), o afastamento do Secretário de Governo, Augusto de Jesus, até que sejam concluídas as investigações de tráfico de influência, que segundo consta, teria favorecido a empresa Net de Comunicações, responsável por fornecer a Prefeitura Municipal o suporte no setor de telefonia e internet.

A empresa beneficiada é de propriedade do filho e do genro do Secretário Augusto de Jesus. O requerimento foi rejeitado, o que era esperado, pois tanto o prefeito Giancarlo Lopes, como seu Secretário Augusto de Jesus, dominam a maioria dos vereadores. Tanto que na hora das decisões, tudo é acertado antes no gabinete, e cada vereador sabe o que deve fazer: votar sim ou não, ou ausentar-se do Plenário. Portanto, a rejeição do requerimento já era esperada.

Para os vereadores teria sido mais fácil sua aprovação, transferindo ao prefeito a decisão de afastar ou não o secretário. Nesse caso, o prefeito não é obrigado a cumprir o pedido da Câmara. Mas, como os vereadores, diga-se, na sua maioria não estão ali para fiscalizar e nem defender o povo, continuam saboreando seus interesses pessoais. Isso quer dizer que muitos terão apenas um mandato.

De outro lado, vendo que seu requerimento não teve o respaldo do legislativo, o vereador pode encontrar outro caminho: procurar informações junto ao Ministério Público, do andamento da investigação sobre o mesmo caso do tráfico de influência que teria sido praticado pelo Secretário de Governo, Augusto de Jesus, na administração passada e continuou nessa atual, pois foi renovado o contrato e que tramita naquele Ministério Público um procedimento que poderá se transformar em Inquérito Civil ou Criminal.