Adilson Santos

994519_290826931062622_775043856_nFaz em média um ano que o Procon de Poá não vai nas ruas fiscalizar o comércio local, e o secretário da pasta Ricardo Massa sabe disto, em reunião com Adilson Santos, vereador Mário de Oliveira o Marinho do Jornal, Fábio Henriques e Vanderlei de Brito Furtado, Massa prometeu tomar medidas, isto já tem mais de 30 dias, mas até agora nada. Na oportunidade Massa disse que a página @poa.sp.gov.br que é denominada oficial do Procon da cidade iria ser tomadas as medidas, pois nem ele mesmo sabia da existência e função da mesma. Mas ainda permanece no ar sem interação e atualização.

Enquanto isto, a cidade fica a merce de enganos de proprietários de comércio locais, magazines e mercados como o Dia, que sem fiscalização agem de ma fé com as pessoas e vendem mercadorias estragadas, publicam valores enganosos nas prateleiras, e as autoridades fingem não ver, ou melhor, nada faz para melhorar este serviço público.

O Poder Executivo da cidade só sabe dizer que a culpa é da crise do ISS. Mas nada fazem em prol da população. E não é a toa que o prefeito Giancarlo Lopes da Silva, o Gian Lopes do PR esta sendo considerado com o prefeito de menos índice de credibilidade e aceitação na cidade. Ele conseguiu ser pior que o Marcos Borges, como já vimos nas redes sociais.

A reportagem da @oficialpoacomecento entrou em contato com o Procon da cidade, mas o que recebeu foi o telefone desligado quando perguntávamos que serviços estavam disponíveis para a população, mostrando total falta de respeito e urbanidade com as pessoas.

Segundo estamos apurando e já encaminhamos a demanda para a assessoria de imprensa da prefeitura de Poá, mas até o fechamento da matéria, não foi nos passado as respostas dos questionamentos e nem explicou porque o local falta funcionários e a não presença de fiscal nas ruas fiscalizando e monitorando o comércio local.

Já a Fundação Procon de São Paulo nos respondeu sobre a presença de fiscal e serviços, é de total responsabilidade da prefeitura da cidade, e cabendo a eles fazer apenas a correção da página oficial http://www.procon.sp.gov.br/ que será corrigida, pois Alexandre Batista Castor não esta mais responsável pelo local, segundo informações, foi desligado do quadro de servidores público.

O Procon de São Paulo nos informou que é responsabilidade da prefeitura manter a unidade funcionando com seu quadro completo de funcionários. e também da atualização de sua página de informações.

Se o povo não tem respaldo no comércio da cidade, para quem resta ter ajuda? Será o local usado como cabide de empregos?