Eguinaldo Hélio

112489-weird-wallpaper-1920x1200-laptop-768x512Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus; que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando muitos (Hebreus 12.15).

Ajuda-nos, Senhor, porque raízes venenosas têm tentado dominar os nossos corações. Uma revolta amarga quer lançar suas raízes no âmago do nosso ser. Um redemoinho de sentimentos e pensamentos destruidores deseja fazer morada em nós, tomar o lugar que só a Ti pertence. Ó Lavrador Celestial, arranca deste solo toda raiz que não veio de Tuas mãos.

Há momentos em que as maldades deste mundo decaído ferem fortemente nossa alma e as setas peçonhentas do inimigo cravam fundo em nosso espírito. Facilmente raízes venenosas se abrigam em nosso solo e se não arrancadas a tempo produzem seus frutos de morte.

Nós bem sabemos o quanto esta raiz de amargura nos privará de Tua graça. Não existe alegria verdadeira onde não se sente Teu favor. Por isso pedimos que a Tua doce graça cure o gosto do amargor em nossas bocas e traga ao mais profundo do nosso ser a doçura da Tua maravilhosa presença.

Esta raiz de amargura perturba tudo ao derredor. Transforma toda luz em escuridão, toda alegria em angústia, o amor vira ódio. Impede-nos de confiar, de amar, de lutar, de viver e de ver Tua bondade e Tua glória. Impede-nos de ver as portas abertas, de ver Tua mão poderosa, de ver Tua luz a nos guiar. Fala Senhor, e faz calar a voz da tempestade em nosso interior. Faz brilhar o Sol do Teu amor uma vez mais. Tira de mim aquilo que não vem de Ti.

Não permita que a amargura em nosso ser contamine os que estão perto de nós. Não queremos corromper aqueles que nos tocam, que nos ouvem, que nos amam. Nós queremos ser somente sal e luz, jamais treva e dissabor. Se não posso ser bênção que eu me cale até que a doçura da Tua graça se derrame outra vez através de nossos lábios e a beleza da Tua vida se faça sentir no Teu amor que nos invade.

Cura-nos, ó Deus, porque também queremos curar. Ilumina nosso mais interior para que o brilho de Tua luz se irradie neste mundo tão escuro. Sara nossa terra, livra-a destas ervas venenosas.

Eguinaldo Hélio de Souza, escritor e membro da Academia de Letras de São Vicente (SP), jornalista, palestrante, professor de teologia e articulista – Contato: eguinaldo@gmail.com