Mel Tomiaga

Flávio Rocha, do PRB, reconhecendo potência da agricultura nacional e apregoa ações do poder público para ampliar competitividade dos produtos brasileiros no mundo

FPA 27mar18.jpegO pré-candidato à Presidência da República, Flávio Rocha (PRB), foi o convidado desta terça-feira (27/03/2018) para a reunião-almoço promovida pela FPA – Frente Parlamentar da Agropecuária, que tem o deputado federal Junji Abe (PSD-SP) entre os integrantes. “Por representar o setor que é o sustentáculo da economia brasileira, a FPA faz questão de ouvir, democraticamente, os concorrentes ao cargo máximo em disputa nas próximas eleições”, explicou o pessedista.

Executivo da Riachuelo, Rocha tem estreita ligação com a Câmara dos Deputados, onde já atuou por dois mandatos (1987-1995), representando o Rio Grande do Norte. A clareza e objetividade do presidenciável, na exposição das suas ideias, agradaram os ruralistas. Sem ligação direta com a agropecuária, o empresário apontou o setor como primordial para alavancar a retomada do crescimento econômico e excepcional, à medida que não apenas sobreviveu aos tempos recessivos como também registrou expansão.

Defensor do “livre mercado como ferramenta natural para combater a corrupção”, o empresário mostrou aos ruralistas os motivos que o conduzem à condição de entusiasta do liberalismo econômico e de um estado menor e mais eficiente. “Em outras palavras, reforçou nosso entendimento de que a máquina pública não pode continuar sendo um paquiderme lento, ineficiente e burocrático”, sintetizou Junji.

Empreendedor de sucesso, o presidenciável também criticou a falta de iniciativas do poder público capazes de ampliar a competitividade dos produtos brasileiros no mercado internacional. Rocha citou a encruada reforma tributária como um dos fatores para a perda de espaço dos artigos nacionais no mundo.

Segundo Junji, o pré-candidato também foi incisivo em afirmar que “capital e trabalho precisam andar juntos”. Rocha lamentou a perda de tempo e energia em discursos que incitam conflitos em vez de promover a conciliação, a partir da diversidade de opiniões. “Perde-se muito com discursos calcados no antagonismo oportunista do ‘nós’ contra ‘eles’”, concordou Junji.

Flávio Rocha é presidente das Lojas Riachuelo, terceira maior rede de moda do País, integrante do conselho do IDV – Instituto para Desenvolvimento do Varejo e vice-presidente de relações com investidores do Grupo Guararapes, empresa familiar que detém o controle da Midway Financeira, Confecções Guararapes Transportadora, Casa Verde e Shopping Midway Mall, maior shopping center do Rio Grande do Norte. Em 2016, recebeu o prêmio empreendedor do ano, da Revista Isto É Dinheiro, na categoria Varejo

Presidida pela deputada Tereza Cristina (DEM-MS), a FPA só não pretende abrir espaço para candidatos que desprezam o agronegócio e rotulam os produtores como geradores de prejuízos à sociedade. “É o tipo de postura inaceitável, diante da importância do setor agrícola para ancorar o PIB (Produto Interno Bruto) nacional, gerar empregos e renda”, sintetizou Junji que acumula quase meio século como líder rural e, historicamente, defende os míni, pequenos e médios produtores que cultivam itens voltados ao mercado interno.